"Nascer, morrer, renascer ainda e progredir continuamente, esta é a Lei."

Carta do Diretor Doutrinário

Escola Jesus Cristo, 15 de janeiro de 2019

Aos irmãos da Escola Jesus Cristo

Quero me dirigir a vocês todos na posição a qual fui constrangido a aceitar.

Reconheço que sou uma pessoa em tudo desqualificada para a função, todavia não posso abandoná-la.

No cumprimento desta, imprimimos parte de nosso modo de ver e viver a instituição. Assim, pequenas mudanças observadas na Escola Jesus Cristo, podem ser atribuídas à forma pela qual eu a vejo e sinto.

Quero esclarecer a todos que no mês de fevereiro teremos uma reunião mediúnica pública na Escola Jesus Cristo, como já ocorreu em algumas ocasiões em outro tempo.

E quero esclarecer também que mediunidade não é um fenômeno único e idêntico em todos os portadores deste dom.

Outro pressuposto para essa minha carta é que Chico Xavier não foi “um médium”, ele foi “O médium”. Todos os outros são “um médium”.

Todos nós somos espíritos encarnados e nossa constituição é: espírito-perispírito-corpo físico, instâncias diferenciadas de nosso composto encarnado. Essas instâncias se acoplam de modo harmônico para que os seus funcionamentos sejam integrados.

O médium é aquele que vive com uma facilidade maior de fragilizar os laços que integram as instâncias perispírito-corpo físico, permitindo a um espírito desencarnado transmitir informações, sensações , emoções e sentimentos ao corpo físico do médium. Assim, o médium em transe tem a ligação com o seu próprio perispírito enfraquecida para facilitar a comunicação do espírito desencarnado.

Esse leve desacoplamento do perispírito gera graus diferentes de desconforto para o médium.

As diferentes qualidades de fenômenos, isto é: físicos ou inteligentes, produzem sensações diferentes no médium e suscitam do mesmo preparações diferenciadas.

No caso das comunicações de espíritos familiares, o médium necessita de grande preparação espiritual e emocional. Ter um contato prévio, de poucos minutos, com o solicitante, produz uma sensibilização no perispírito do médium.

Ler os nomes dos solicitantes nas fichas, com os nomes e o grau de parentesco com o familiar desencarnado, de cerca de 150 registros, facilita o trabalho dos espíritos benfeitores de produzir a conexão daqueles que irão enviar as mensagens.

Essa é a regra simplificada daquele médium, que é um ser humano como os demais, Tem uma vida familiar, tem emprego, afazeres, responsabilidades, preocupações, mas, sobretudo, tem uma aspiração íntima de servir ao próximo.

As senhas são distribuídas sempre no mesmo dia da reunião, de modo a não deixar dúvidas quanto ao uso indevido de recursos tecnológicos anteriormente.

Espero que fique claro que o encontro com os solicitantes e a leitura das 150  fichas preenchidas com as únicas informações de dois nomes, imediatamente antes da sessão de psicografia não tem como suscitar possibilidades de qualquer forma de fraude. Seria humanamente impossível memorizar de 150 fichas, três informações, ou seja 450 informações no total para reproduzi-las nas comunicações.

O médium não é um mágico e nem a sessão mediúnica é um espetáculo que deve impressionar a plateia.

Nós teremos quatro representantes da sociedade civil, não-espíritas,  que testemunharão a lisura da reunião:

Dr. Elson Gomes, médico.

Dra. Adriana Filgueira, geógrafa, UFF

Dr. Leonardo Puglia, jornalista.

Dra Maria Goreth Nagime Barros, advogada.

Durante a recepção das mensagens, haverá palestras de quinze a vinte minutos intercaladas com músicas.

Haverá uma equipe responsável para atender às necessidades como toalete, atendimento de necessidades emocionais/espirituais, atendimento médico, cantina, passe magnético e esclarecimentos sobre a doutrina espírita e a mediunidade.

Uma íntima convicção me vem à alma, de que boas sementes serão aspergidas pelo Semeador neste dia, e que em vários terrenos, elas germinarão.

Que Jesus nos abençoe a todos.

Flávio Mussa Tavares

Diretor Doutrinário em exercício.

Seminário "Pai Nosso", com André Marinho



Análise completa da oração do Pai Nosso, frase a frase, em forma de seminário gratuito e totalmente online. Inscreva-se até o dia 16 de dezembro de 2018.


André Marinho tem 35 anos, é palestrante, professor, escritor e ator.
Graduou-se em Artes Cênicas (teoria da arte e interpretação) na Uni-Rio e na CAL-RJ. Cursou, também, filosofia, na UFRJ. Acaba de publicar o livro “Quem foi Jesus? – uma análise histórica e ecumênica”, no qual associa as respostas de diversas tradições religiosas (judaísmo, cristianismo, islamismo e espiritismo) sobre o Jesus histórico, em franco e aberto diálogo ecumênico entre os estudos acadêmicos e religiosos/ teológicos.
É conferencista experiente, tendo realizado mais de 800 palestras em Igrejas (católica e protestantes), grupos espíritas, Congressos e Seminários em universidades sobre religião e artes. 

I Seminário Pietro Ubaldi


A Escola Jesus Cristo convida para o I Seminário Pietro Ubaldi.

PROGRAMAÇÃO

12/08/2018 – 10h
Flávio Mussa Tavares
A Paternidade na Lei da Evolução

17/08/2018 – 20h
Flávio Mussa Tavares
O Sermão da Montanha

18/08/2018 – 18h
Pinga Fogo sobre a obra de Pietro Ubaldi
com Rafael Van Erven Ludolf

19/08/2018 – 10h
O Evangelho posto à prova
Rafael Van Erven Ludolf

(confirmação não obrigatória)

Chocolate Fraterno


A Escola Jesus Cristo convida a todos para o seu Chocolate Fraterno, a se realizar no dia 11 de agosto de 2018, às 18h, no Teatro Casimiro Cunha.

Será um momento de alegria e comunhão entre irmãos!

Os convites estão à venda com as irmãs Márcia, Henriqueta e Teresa (Livraria Cícero Pereira), pelo valor de R$ 25,00.

Toda a arrecadação será revertida para as obras beneficentes da instituição.

(confirmação não obrigatória)



Alexandre Vaz Pereira


A Escola Jesus Cristo convida a comunidade espírita de Campos para a palestra pública de Alexandre Vaz Pereira, a se realizar no domingo, dia 08 de julho de 2018, em nossa sede.

Nascido a 13 de maio de 1973, em Nova Lisboa (Angola), Alexandre reside na cidade de Aveiro, Portugal.
Urbanista de profissão, Licenciado em Planejamento Urbano, pela Universidade de Aveiro, com especialização feita na Universidade de Nyjmegen, Holanda.
Para além disso é crítico de ópera, escrevendo artigos de opinião.
Dirigente do Centro Espírita Nosso Lar, é palestrante e dirige as atividades de estudo.

Voluntariado

"A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da seara que envie trabalhadores para a sua seara".

Mateus 9:37-38

Eis aqui uma excelente oportunidade a todos aqueles que desejam participar de algum serviço voluntário da Escola Jesus Cristo. Observe o "Quadro de Vagas" e venha trabalhar pelo próximo, como Jesus nos ensinou.


VAGAS PARA ADMISSÃO IMEDIATA:
  • Creche Salvadora Assis - Auxiliar
  • Classes infantis - Professor de Evangelho
  • Serviço de Costura
  • Sopa Dona Mariquinhas - Auxiliar

VAGAS PARA CADASTRO DE RESERVA:

INSTRUTORES / PROFESSORES DAS SEGUINTES ÁREAS:
  • Corte e costura
  • Hotelaria / taifa
  • Culinária (doceria, salgaderia)
  • Cuidador de idosos
  • Babá
  • Bordado
  • Pintura em tecidos
  • Maquiagem
  • Cabeleireiro feminino e masculino
  • Jardinagem
  • Violão / teclado
  • Inglês básico
  • Espanhol básico
  • Esperanto
  • Alfabetização de adultos
  • Teatro
Todas as vagas estão de acordo com as CLTD
(Consolidação das Leis do Trabalho Divinas)

Carta do Pastor Benjamim Cezar à Escola Jesus Cristo

Carta do Pastor Protestante Sr. Benjamim L. A. Cezar, da Igreja Cristã Presbiteriana do Brasil.



“Campos, 27 de outubro de 1939.

A Escola Jesus Cristo,

Meus prezados amigos, não sou espírita nem aceito muitas das crenças que sustentais e propagais. Este fato, porém, não inibi que entre vós e mim se estabeleça espontaneamente certa corrente espiritual. Chegastes para mim pelo contato amistoso e fraternal de Clóvis Tavares. E eu me aproximei de vós, indo, três vezes, falar-vos na vossa antiga casa, sobre verdades da Bíblia comum ao vosso como ao meu sistema. Tudo, vi-vos, observei-vos de perto, conheci-vos e passei a amar-vos. Daí, esta comunhão de sentimentos e de afetos, que conto como duradoura, embora continueis vós a crer em doutrinas que eu não admito e insista eu admitir verdades em que vós não credes. Já há muito ouvia falar de vós e há muito desejava visitar-vos. Quando realizei a segunda visita, verifiquei "de visu"* o alcance de vosso trabalho. Obra espiritual, educativa, intuitiva, de filantropia, de fraternidade, de tolerância; cheia de amor, de consagração, de entusiasmo; em que o misticismo se confunde com a atividade, a prece com o trabalho, a crença com um programa social – essa obra só podia constituir a irradiação necessária, inevitável, de almas sinceras e idealistas. E porque o foi, vós, em tão pouco tempo, crescestes, vós desenvolvestes, vós implantastes em Campos, fizestes milagres. Se colimardes estes mesmos ideais, que não será o vosso trabalho daqui a cinco, a dez anos? Simplesmente grandioso! Hoje inaugurais vossa casa própria. Casa, que será para vós, e para os pobres e infelizes. Compartilhando da vossa alegria, gostaria de saudar-vos a viva voz, satisfação e honra que não posso conceder-me em virtude de compromissos inadiáveis. “Então lhes disse: “Quem receber esta criança em meu nome, recebe-me a mim; e quem me recebe a mim, recebe o que me enviou; porque aquele que entre vós for o menor, esse será o maior”. (Lc 9:48; Mt 18:5).

Cordialmente,

Benjamin L. A. Cezar
Ministro da Igreja Presbiteriana do Brasil

*“De visu” – expressão em latim que significa testemunha do fato, ou pessoa que presenciou o fato.

Obs.: Nesta data (27/10/1939), ao completar 4 anos de sua fundação, a Escola Jesus Cristo inaugurou a sua sede própria e definitiva, situada na rua dos Goitacazes no 177, adquirida por sua Diretoria com a colaboração de amigos em julho do mesmo ano; conforme Ata no 65 de 21 de julho de 1939.